Quais são os sinais de convulsão em bebês?

Descubra os sinais de convulsão em bebês e o que você deve fazer se acontecer com o seu filho

As convulsões acontecem quando as células do cérebro têm atividade elétrica anormal, interrompendo temporariamente os sinais elétricos normais do cérebro. A epilepsia é a causa mais comum de convulsões, mas muitas coisas, incluindo traumas no nascimento, distúrbios cerebrais e desequilíbrios químicos, podem desencadear essas crises. Muitas vezes, os médicos não podem determinar o motivo de uma convulsão.

Quando você imagina alguém tendo uma convulsão, você provavelmente imagina um tremor no corpo e uma perda temporária de consciência. Mas os sinais de convulsões são mais sutis em bebês. No começo, você pode não perceber que alguma coisa está errada. Como os tipos de convulsões que afetam os bebês são diferentes daqueles que afetam os adultos, é importante conhecer esses sinais.

Sinais de convulsões em bebês

  • Convulsões febris. Seu bebê pode revirar os olhos e seus membros podem endurecer ou contrair-se. Quatro em cada 100 crianças de seis meses a cinco anos têm uma dessas convulsões, que são desencadeadas por febres altas, geralmente acima de 39°.
  • Espasmos infantis. Este tipo raro de convulsão ocorre durante o primeiro ano da criança (tipicamente entre 4 e 8 meses). Seu bebê pode inclinar-se para frente ou arquear as costas enquanto seus braços e pernas endurecem. Esses espasmos tendem a ocorrer quando uma criança está acordando ou indo dormir, ou após ser alimentado. Os bebês podem ter centenas dessas crises por dia.
  • Convulsões focais. Seu bebê pode suar, vomitar, ficar pálido e sentir espasmos ou rigidez em um grupo muscular, como dedos, braços ou pernas. Você também pode observar engasgos, estalos labiais, gritos, choro e perda de consciência.
  • Convulsões de ausência. Seu bebê parece estar olhando para o espaço ou sonhando acordado. Ele pode piscar rapidamente ou parecer estar mastigando. Esses episódios geralmente duram menos de 30 segundos e podem ocorrer várias vezes ao dia.
  • Convulsões atônicas. Seu bebê mostra uma perda súbita de tônus muscular que o faz ficar flácido e indiferente. Sua cabeça pode cair de repente ou ele pode cair no chão.
  • Convulsões tônicas. Partes do corpo do seu bebê (braços, pernas) ou todo o seu corpo de repente endurecem.
  • Convulsões mioclônicas. Um grupo de músculos, geralmente no pescoço, ombros ou parte superior do braço do bebê, começa a tremer. Essas convulsões geralmente ocorrem em grupos, várias vezes ao dia e vários dias seguidos.

O que fazer se seu bebê tiver uma convulsão

Consulte seu pediatra se você acha que seu bebê está tendo convulsões. Se possível, grave um vídeo do episódio para mostrar ao seu médico. É importante prestar atenção a estas coisas:

  • Quanto tempo dura a convulsão
  • Onde a crise começou (braços, pernas, olhos) e se se espalhou para outras partes do corpo
  • Como era o movimento (encarando, empurrando, enrijecendo)
  • O que seu bebê estava fazendo antes do episódio (acordar, comer)

Pode ser assustador observar seu bebê nas garras de uma convulsão. A coisa mais importante que você pode fazer é ter certeza de que ele está protegido contra ferimentos. Afaste objetos duros (brinquedos, móveis) e role-o para o lado para ajudar a prevenir asfixia, caso ele vomite. Não tente tirá-lo da convulsão ou colocar algo em sua boca. Ligue para a emergência se o seu bebê tiver problemas para respirar, ficar azul, convulsionar por mais de cinco minutos ou não responder por 30 minutos após o término da convulsão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *